Posts by: otavio

Lágrimas

By on 7 de fevereiro de 2018

Rios de sangue revestiam o velho e desgastado assoalho de madeira; rios, estes, que um dia já foram somente de lágrimas. Incontáveis. Lágrimas. Algumas gotas, por vezes, acabavam por traspassar os vãos do antigo piso, deixando, desta maneira, uma mancha permanente no casebre. Uma mancha tanto física, quanto emocional. Sob o falecido corpo de minha […]

Tic Tac

By on 14 de maio de 2017

Tic tac tic tac O céu noturno estava iluminado pelas estrelas, dando certo toque poético à chacina ao meus pés, enquanto o sangue que me banhava brilhava com a luz da lua. Tic tac tic tac Os olhos mortos de minha namorada me encaravam do canto do quarto. O cheiro putrefado do corpo estraçalhado e […]

Minha alma… dói…

By on 27 de abril de 2017

A maca choca-se contra a parede. Acima desta mesma maca há uma luz, indecisa. Ora acesa, ora apagada. Faíscas provêm da lâmpada. Espera… como a Maca chocou-se contra a parede, se não há ninguém aqui? Um dia antes… Não faço a mínima de ideia de onde estou. É frio aqui. Azulejos brancos com disformes manchas […]

Preconceito

By on 21 de abril de 2017

Acusam-me de loucura. Dizem que estou insano, que não há nexo em minhas palavras…me escute você…isso, você… Eu e meu namorado, como de praxe, andávamos pela avenida da cidade. Sempre de mãos dadas. Nós realmente não nos importávamos com os outros, mesmo com todo o preconceito que transcorre a veia humana. Nada jamais havia nos […]

Sofrimento

By on 24 de março de 2017

“Chegamos…” essa palavra bate incessantemente em minha cabeça. O silêncio choca-se contra meus tímpanos ensurdecendo-me. Meus olhos mal mantem-se abertos. Meu corpo já não me obedece mais. Sinto a energia me abandonando, toda a vitalidade que antes habitava meu corpo, agora está esparramada por este breu comumente chamado de consciência. Agradecerei a Deus eternamente por, […]

Não tem SA-Í-DA

By on 22 de março de 2017

“ Onde estou? ”, eis a pergunta com a qual me questiono a todo momento. Estou aqui há algum tempo. Não tem saída. Estou preso, indefeso, inseguro e irrequieto. Neste local nada funciona, celulares ou quaisquer outros aparelhos eletrônicos. É um casarão que aparenta estar abandonado. Não há mobílias ou sequer outra coisa que possa […]

ECOS

By on 22 de fevereiro de 2017

Sons. Escuto passos. Ecos. Alguém está me seguindo. Isso me assusta, mas ao mesmo tempo faz-me lembrar que não estou sozinho no mundo; algumas vezes gosto de me imaginar sozinho, inerte, intocável. Ando pelas escuras ruas de meu bairro, um ar gélido choca-se contra minha nuca fazendo arrepios percorrem meu corpo inteiro. As estradas são […]

Gostou? Então Compartilhe o conhecimento :)