Guerra celestial

Guerra celestial

Por em 5 de janeiro de 2017

Ha milhares de anos atrás, antes mesmo da existência do ser humano, houve uma guerra celestial… 

Tudo começa misteriosamente com o Anjo mais inteligente, belo de toda criação de Deus, o nome desse poderoso anjo erá Lúcifer, ele era o quarto anjo a baixo de Deus, contra quem ele resolveu se rebelar!

A guerra celeste aconteceu em um lugar belo, onde a eternidade e paz reinavam, esse lugar fica anos luz da terra, esse lugar fica em uma dimensão diferente, esse lugar fica no ponto mais alto, chamado terceiro céu mais conhecido como paraíso.

Deus deu o direito de escolha para os anjos

Deus criou todos os anjos com uma perfeição inimaginável, eles são de uma beleza imensurável, cada um com seu poder, com seu lugar destinado, todos gozando de plena democracia celestial.

Agora irei tirar trechos de um livro ele explicará o inicio do confronto  

“Os anjos haviam sido criados cheios de bondade e amor. Amavam uns aos outros sem parcialidade e supremamente a Deus. Movidos por este amor, deleitavam-se em realizar a Sua vontade. A lei de Deus não lhes era um pesado jugo, antes compraziam-se em obedecer a Seus mandamentos e em ouvir a voz de Sua Palavra. Porém, nesse estado de paz e pureza, o mal originou-se com aquele que havia sido perfeito em todos os seus caminhos. O profeta disse a seu respeito: “Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor.” Ezequiel 28:17. O pecado é algo misterioso e inexplicável. Não havia razão para a sua existência; tentar explicá-lo é procurar uma razão para ele, e isto seria justificá-lo. O pecado apareceu num Universo perfeito, algo que se revelou inescusável. — The Signs of the Times, 28 de Abril de 1890…”

“Houve um tempo em que Satanás se encontrava em harmonia com Deus, quando era sua alegria executar os divinos mandamentos. Seu coração encontrava-se cheio de amor e regozijo em servir ao Criador, até que começou a imaginar que sua sabedoria não derivava de Deus, sendo antes inerente a ele próprio, e que ele era tão digno quanto Deus de receber honra e poder. — The Signs of the Times, 18 de Setembro de 1893″…

“Pouco a pouco Lúcifer veio a condescender com o desejo de exaltação própria. … Se bem que toda a sua glória proviesse de Deus, este poderoso anjo veio a considerá-la como pertencente a si próprio.”…

“Satanás… iniciou a obra de rebelião entre os anjos que estavam sob seu comando, procurando difundir entre eles o espírito de descontentamento. Agiu de modo tão ardiloso que muitos dos anjos se comprometeram com ele antes que seus propósitos fossem plenamente conhecidos”

“Satanás… ambicionava as mais elevadas honras que Deus concedera a Seu Filho. Tornou-se invejoso de Cristo e começou a semear entre os anjos que o honravam como querubim cobridor, o sentimento de que não recebera a honra que sua posição demandava. — The Review and Herald, 24 de Fevereiro de 1874. Mediante sutis insinuações de que Cristo usurpara o lugar que [35] pertencia a ele, Lúcifer lançou as sementes da dúvida na mente de muitos dos anjos. — The Educational Messenger, 11 de Setembro de 1908. Sua [de Lúcifer] obra de engano foi efetuada com tão grande sigilo que os anjos em posições menos elevadas supuseram que ele era o governante do Céu. — Este Dia com Deus, 254. Os anjos leais e sinceros procuraram reconciliar este anjo poderoso e rebelde com a vontade do Criador. Justificaram o ato de Deus de conferir honra a Jesus Cristo, e com poderosos argumentos tentaram convencer Satanás de que ele próprio não possuía agora menor honra do que antes de o Pai proclamar a honra especial conferida ao Filho. Mostraram-lhe claramente que Jesus era o Filho de Deus, existindo com Ele antes que os anjos houvessem sido criados, e que sempre estivera à destra de Deus, sem que Sua terna e amorável autoridade jamais tivesse sido questionada; tampouco dera Ele qualquer ordem que os seres celestiais não houvessem cumprido alegremente. Argumentaram que o fato de haver Cristo recebido honras especiais por parte do Pai, na presença dos anjos, não diminuía a honra que ele [Satanás] recebera até então.”…

O primeiro esforço de Satanás para destruir a lei de Deus — esforço este feito entre os santos habitantes do Céu — pareceu por algum tempo ser coroado de êxito. Grande número de anjos foram seduzidos. — Patriarcas e Profetas, 331. O governo de Deus incluía não apenas os habitantes do Céu, como ainda todos os mundos criados. Satanás pensou que, se fosse capaz de arrastar consigo à rebelião as inteligências celestiais, também dominaria os outros mundos. — The Review and Herald, 9 de Março de 1886. Aqui, por certo tempo, Satanás esteve em vantagem; exultou a este respeito, em sua arrogante superioridade, sobre os anjos do Céu e até mesmo sobre Deus. … Ele [Lúcifer] se disfarçara num manto de falsidade, e durante algum tempo foi impossível remover a [37] máscara, para que a deformidade abominável de seu caráter pudesse ser percebida. Foi necessário esperar que ele próprio revelasse suas obras cruéis, astutas e más.

Trechos retirados do livo “A verdade sobre os Anjos”.

Quer continuar lendo ? Então Clique Aqui 

Resumindo

A guerra no céu, foi basicamente implantação de discórdia, Lúcifer perdeu a oportunidade de viver na gloria eterna, mas sua vaidade não deixou. 

E agora ele está aqui na terra.

Quer saber mais sobre ele ? aguarde haverá um estudo sobre Demônios  !

Discorda de algo ? Então deixe seu comentário e entre para nossa comunidade oficial:

parceria

Gostou desse artigo ? então compartilhe com seus amigos ! e não se esqueça de curtir nossa pagina no Facebook .

Nos siga nas redes sociais:

Nosso perfil no Amino: Clã do Terror

Perfil no Gooogle+: Clã do Terror

Perfil no Instagram: Clã do Terror

©2016 Clã do Terror. Todos os direitos

 

Comentários

Comentários

Conheça o canal do Clã do Terror no YouTube.

Gostou? Então Compartilhe o conhecimento :)