Jane The Killer

By on 21 de novembro de 2016

Conheçam a origem da Jane the Killer.

Espero que gostem !

Oi, me chamo Jane Arkensaw, mas você deve me conhecer como “Jane, a assassina”, e eu vou contar a vocês como eu conheci um garoto chamado Jeff, e como ele me motivou a fazer o que faço, e o motivo de eu querer matá-lo.

Uma nova família havia se mudado para a casa do outro lado da rua, isso não me surpreendia, meu bairro era bastante agradável, e a casa era relativamente barata considerando onde estava. Na época eu tinha uns 13 ou 14 anos.

O filho mais novo do casal se chamava Jeff, mas eu era um pouco tímida e não tive coragem de falar com ele ou o irmão dele, quando eles se mudaram, para falar a verdade, eu nunca falei com ele até aquela noite. Mas essa parte está bem adiante, voltemos a cronologia atual. Minha primeira impressão de Jeff era que ele era um bom garoto, ele tinha cara de ter boas notas e não se envolver em brigas, um tipo bem legal.

Liu, o mais velho, aparentemente colocava a família em primeiro lugar, senti isso quanto ele e o caçula se sentaram na calçada, era o primeiro dia de aula e quando eu olhei pela janela e eu estava atrasada, então não pude reparar muito na relação dos irmãos, era incomum eu me incomodar com isso, eu estava quase  atrasada para qualquer coisa, especialmente escola.

Então eu vi Randy e seus lacaios na rua, não me surpreendi de ver eles irem até Jeff e Liu naqueles skates estúpidos deles, Randy era apenas um valentão, daqueles que pegam no pé de qualquer um que for menor do que ele, por causa dele, meus pais me levam para a escola em vez de me mandar pegar o ônibus como todos os outros. Todos saiam de casa com dinheiro do almoço ou algum tipo de dinheiro, por causa do “pedágio” que Randy e seus capangas exige.

Todos sabiamos que o grupo de Randy tinham facas e por isso ninguém contou sobre o dinheiro, porém os novos garotos não aceitaram e tentaram intimida-lo. Eu sabia que aqueles dois terminariam dando a grana pra ficar bem e fui organizar a mochila, quando olhei pela janela, alguns segundos mais tarde, fiquei espantada ao ver Jeff de pé agora, e parecia que Randy já tinha o que queria. Na mesma hora gritei em pensamento.

Sente-se

Não seja estúpido

Nessa hora vi Jeff dar um soco no rosto de Randy e quebrar o pulso, susurrei e logo após gritei.

Oh meu Deus.

Seu idiota!

Ao me ouvirem gritar, meus pais desceram as escadas correndo para ver o que aconteceu, eles olharam para fora e viram o que estava acontecendo, Jeff havia esfaqueado o gordo, acho que era o Troy, e ele caiu gritando, Keith então caiu com um único soco. Da minha casa dava pra ver tudo que acontecia, mas meus pais vieram depois que Randy roubou a carteira dos irmãos, ou seja, eles não sabiam do verdadeiro motivo daquela briga.

Aquilo foi perturbador, Jeff estava se divertindo muito com aquela luta, senti um nó no estômago, e vi pelo olhar de Liu que Jeff não fazia aquilo muitas vezes. Depois que eles saíram correndo, escutei as sirenes, policiais vieram com o motorista do ônibus para verificar as “vítimas”. Como meu pai teve uma discussão com um policial a alguns anos, ele passou a não se meter com a policia, então, quando ouvimos sirenes, fomos para o quintal, entramos no carro e saímos.

Meus pais me deixaram na escola e foram claros ao dizerem que não querem que eu fale com Jeff, eu não posso tirar a razão deles. Durante toda a primeira aula eu não vi Jeff na escola, eu estava na aula de artes mas eu agora tinha dificuldade em ver as cores de meu trabalho, tudo parece cinza, esse deve ser o preço de perder a sua inocência.

Durante todo o dia não vi Jeff, até que o vi perto da hora da largada, ele parecia tão… desligado, pensei de inicio que era apenas fingimento para que ninguém suspeitasse do crime que ele cometeu, mas depois vi que ele realmente estava se divertindo, não por estar na escola, era um sorriso sádico, o sorriso de um louco. O sinal tocou e eu sai o mais rápido que pude, ninguém além de mim sabia a verdade sobre Jeff, ele era uma aberração.

O dia seguinte começou sem incidentes, ao menos eu pensava, até que vi o carro da polícia na frente da casa de Jeff. Eu no mesmo momento pensei.

Parece que eles te pegaram.

Mas quão grande foi minha surpresa quando eles saíram da casa, não era Jeff que estava sendo levado por eles, a polícia saiu com Liu, seu irmão. Eu estava pasma com a capacidade de Jeff por jogar a culpa no irmão, até que o vi, ele saiu da casa gritando.

Liu diga que eu fiz isso!

Não pude ouvir o que Liu respondeu, mas sabia que não era algo satisfatório a Jeff. A polícia levou Liu, e Jeff foi deixado com sua mãe, alguns minutos depois ela entrou em casa e Jeff ficou do lado de fora, eu não podia ouvi-lo mas sabia que ele estava chorando.

Nos dias seguintes por todo lugar só se falava sobre Liu, de inicio em segredo, mas assim que souberam que Randy estava mal demais para frequentar a escola por alguns dias, todos abriram o verbo sobre o caso, e , claro, um monte de besteira aleatória começou a compor os rumores.

Eu ouvi Liu cortou o braço de Tony!

 

Ah, é? Bem, eu ouvi que Liu bateu em Keith no estômago tão forte  que ele vomitou o sangue!

 

Isso não é nada! Ouvi dizer que ele socou Randy tanto no nariz que ele saiu atrás de sua cabeça!

Entre tantos outros rumores. Sinceramente, não tenho nada a ver com Jeff ou seu irmão, mas Jeff anda tão sozinho e chateado que resolvi fazer alguma coisa, eu lhe escrevi um bilhete dizendo que ele tinha um amigo e que eu iria depor no julgamento de Liu sobre o que realmente aconteceu, deixei esse bilhete em sua mesa assinado com a letra “J” antes da aula começar e saí da sala, quando voltei Jeff estava lá.

Chegou o sábado, eu estava sozinha, meus pais estavam no trabalho, estava acontecendo uma festa de aniversário numa das casas que ficam próximas à minha. Deixei a janela aberta para a agradável brisa entrar no meu quarto enquanto eu fazia o dever de casa, mas as crianças estavam gritando muito alto, então resolvi fechar minha janela, foi aí que eu vi, Jeff estava brincando com as crianças, ele trajava um daqueles chapéus de cowboy falsos e carregava uma arma de brinquedo, aquilo era tão ridículo que eu tive que rir. Então refleti.

Talvez ele não seja o monstro que eu acho que ele é.

Eu ja ia fechar a janela para voltar a meu dever, quando vi Randy, Keith, e Tony pular a cerca em seus skates, o trio se reencontrou com Jeff. Eu gritei pra mim mesma.

De novo, não!

Randy e Jeff trocaram uma pequena conversa, então Randy correu para cima de Jeff, eu já ia ligar para a policia quando ouvi Tony e Keith gritarem.

Ninguém vai interromper ou vísceras vão voar!

Percebi então que ambos tinham armas em mãos, eu não podia ajudar sem pôr vidas em perigo, eu não podia ligar para a policia por que meu celular havia descarregado. Jeff foi chutado na cara por Randy , então ele agarrou o pé do agressor e o torceu, enquanto Randy estava caido, Jeff tenta entrar na casa, até que Troy o agarra pelo colarinho e o joga para dentro da casa, eu sabia que eles iam matá-lo. Gritei da janela.

Randy vai enfiar esse chapéu em você!

Claro que eu sabia que o som das crianças gritando impediria que eu fosse ouvida, mas mesmo assim gritei, então eu corri para o quarto dos meus pais e procurei o celular do meu pai, eu sabia que ele sempre o esquecia em casa, depois de muita busca o achei, estava debaixo da cama, não perdi tempo, digitei os números.

911 Olá?

 

Preciso de ajuda há uma emergência na casa ao lado! Alguns caras pularam a cerca e tão espancando alguém! Eles têm armas. Você precisa para se apressar, por favor!

 

Ok, preciso que você me diga o endereço e eu vou enviar ajuda imediatamente.

Eu disse rapidamente meu endereço e pedi que ela viesse depressa, depois desliguei o telefone ignorando o que ela estava falando. Então ouvi tiros que vinham de outro lado e rapidamente larguei o telefone, o que o fez quebrar, e corri para janela do meu quarto para ver o que estava acontecendo, chegando lá vi fumaça de um incêndio e os gritos, pareciam gritos de um animal morrendo, isso me deixou horrorizada, mas juro a você, vou fazer Jeff gritar assim novamente, a lembrança daqueles gritos soam como música para mim agora e não há nada que eu queira ouvir mais no mundo do que ele gritando.

Eu corri, peguei o extintor portátil na cozinha, e fui até a casa. A porta estava destrancada, eu entrei sem prestar atenção em ninguém, até que vi Jeff, eu congelei completamente. Ele estava deitado, coberto em chamas e com adultos tentando apaga-lo, eu via pedaços de sua pele sendo arrancados pelas toalhas que abafavam as chamas, pedaços rosa, partes carbonizadas, muito vermelho, eu então desmaiei, só me lembro de adultos correndo em minha direção, talvez para me ajudar ou talvez por conta do extintor de incêndio, eu não sei, até que acordei numa cama de hospital.

Quando uma enfermeira entrou, eu logo lhe perguntei o que aconteceu, ela irritada falou:

Tudo o que sei é que você foi trazida com outras crianças, você caiu e bateu a cabeça em um extintor de incêndio.

Enquanto levava minha mão a cabeça, senti as ataduras e um galo do tamanho de uma laranja e perguntei.

Um extintor de incêndio?

Então lembrei de Jeff.

Um dos caras que vieram comigo, aquele com as queimaduras, ele vai ficar bem?

Ela suspirou e ainda irritada respondeu.

Ouça havia dois rapazes que foram trazidos com você e que tinham queimaduras, e não, eu não vou deixar você vê-lo só porque ele é seu namorado.

Rapidamente rebati, sentindo meu rosto enrubescer.

Ele não é meu namorado! Só estou preocupada com ele!  você não  se preocuparia com alguém que você acabou de ver queimando vivo na sua frente?

Minha voz tremeu enquanto eu falava e provavelmente ela achou que era mentira, ela mudou de assunto.

Seus pais estão a caminho. Quer vê-los?

Queria sair de perto dela apenas, então respondi afirmativamente. Logo que meus pais entraram, a enfermeira saiu, eles me perguntaram o que houve e eu contei tudo que sabia. Ao fim, mamãe disse.

Eu sabia que Randy não era bom!

Então perguntei.

Então, você já ouviu falar alguma coisa sobre a condição de Jeff?

Meu pai então respondeu.

Não, nada ainda, acabei de chegar aqui, só procurei saber sobre o que aconteceu com você.

Não tinha ninguém na festa que pudesse falar com minha família, então perguntei.

Mas quem lhe disse?

Minha mãe respondeu:

O hospital nos chamou.

Eu fingi aceitar a resposta, mas sabia que isso era impossivel, como alguém poderia ter me identificado se eu não portava nenhuma identificação? Foi então que vi um homem e uma mulher em pé na porta, meus pais olharam logo em seguida. A mulher então falou.

Desculpe-me, este quarto Jane Arkensaw? Sou Margaret, e este é Peter, meu marido. Nós somos pais de Jeff.

Sentei-me na minha cama enquanto minha mãe já falava:

Eu sou Isabelle, este é meu marido Greg, e nossa filha Jane.

Ela apontou para mim e Margaret veio me cumprimentar:

Então, você é a garota que correu com o extintor de incêndio. Jeff acabou de sair de uma cirurgia algumas horas atrás. Os médicos disseram que ele vai ficar bem.

Eu então fiquei mais relaxada, mas precisava contar a verdade sobre o que aconteceu com Randy e sua tripulação.

Ouça. Sei o que aconteceu com Jeff e Liu em seu primeiro dia de escola … Estou disposta a testemunhar que Liu não bateu em ninguém e que Jeff só bateu em Randy e sua gangue em auto-defesa.

Mas Margaret estava sorridente ao ouvir isso e me veio com uma noticia muito boa:

Não há necessidade, Liu está sendo libertado da prisão depois do que aconteceu com esses meninos. Nós só viemos para dizer muito obrigado por tentar ajudar o nosso filho, Jane. Isso aquece o meu coração ver pessoas altruístas em sua geração.

Eu  corei e olhando pra baixo respondi.

Eu fiz nada que ninguém não  teria feito na minha situação. Eu não sou uma heróina.

Margaret rapidamente rebateu

Absurdo! O mínimo que podemos fazer é convidá-la para o nosso lugar para jantar quando Jeff sair do hospital!

Não precisei responde já que mamãe se adiantou. Fiquei no hospital por mais 2 dias, então fui liberada. Não tive contato com Jeff ou sua família, mas ouvi dizer que Liu foi libertado da prisão e as feridas de Jeff estavam curando. Voltei para a escola, e me tornei o centro das atenções, por ser a única que viu o que aconteceu na festa. Mas mantive segredo de todos, exceto de Dani, Marcy, e Erica, que eram meus grandes amigos.

Dani tinha cabelo preto corvo, com olhos azul safira e era o mais sangue-frio de nós. Erica estava sempre vestida com roupas que pareciam vir da década de 80 ou algo assim, meias longas de arco-íris, cabelo combinando e sempre usando uma espécie de mochila. Marcy era a mais “feminina” do grupo, loira de olhos castanhos, e quase sempre de rosa, era uma das maiores do drama-queens que eu conhecia, extremamente sincera ou falando algo sem proporção. Mercy foi a primeira a se pronunciar.

Ele não era um héroi, ele levou Jane para o hospital.

Eu então tive de o defender.

Eu te disse, eu fui lá para tentar ajuda-lo, sabia que tinha algo errado.

Marcy, dramática, rebateu.

Ou talvez você queria ver o seu amor pela última vez antes de ele sair em busca de ajuda. Você não pode negar Jane Arkensaw! Você tem uma queda por Jeff! Eu vi você deixar uma nota na mesa dele! O que foi? Um confissão de seu amor por ele?

Então todas as células no meu corpo teimaram e decidiram migrar para o meu rosto.

O quê? Não, eu s-só queria ajudá-lo a isso é tudo! E a nota não foi nada ! Eu estava apenas…

Marcy estava rápida hoje:

Então você admite que deixou uma nota!

Nesse momento comecei a me perder.

O que você quer dizer?

Ela deu um sorriso cínico e falou.

Eu estava adivinhando.

Eu fiquei com o rosto mais vermelho do que um tomate, então Marcy falou.

Jane é só uma piada! Eu estava apenas brincando!

Nos então entramos para a aula. As semanas se passaram, tudo parecia normal. Até que Liu veio até mim um dia e me contou sobre Jeff.

Desculpe-me, o seu nome é Jane? Meus pais queriam que eu avisasse que as ataduras de Jeff serão removidas em poucos dias,  então eles iram dar telefonema convidando-a para jantar em breve. O que você fez pelo meu irmão, isso foi legal.

Agradeci e ele, meio sem jeito, partiu para seu caminho, até que alguem surgiu atrás de mim, me assuntando.

Traindo seu namorado? E com o seu próprio irmão!

Era Marcy, mandei ela se calar e a arrastei de volta a aula. Dois dias depois o telefone tocou, minha mãe atendeu. Era a mãe de Jeff avisando de sua saída do hospital e que logo marcaria o jantar. Fui para meu quarto, até que ouvi um carro parar perto de casa, ao olhar pela janela, vi que era o carro de Jeff na frente da casa dele.

Seu pai saiu, junto com sua mãe e Liu. Jeff tinha longos cabelos negros até os ombros, sua pele parecia couro branco, e aquele sorriso … aquele sorriso era o mesmo sorriso que eu vi depois que ele bateu em Randy, Keith, e Tony. Jeff olhou para mim, eu senti os olhos, aqueles olhos que queimam direito em sua alma. Ele parecia estar olhando para mim por horas quando desviou o olhar. Eu o observei entrar em casa com seus pais, eu nem respirei até que porta finalmente se fechou atrás deles.

Eu logo desmaiei, Me acordei horas depois, no escuro, estava de camisola e todas as luzes estavam acesas, eu desci e encontrei um bilhete sobre a mesa:

Você não vem para o jantar? Seus amigos estão aqui também.

Deixei cair o papel e corri para a janela, vi Jeff inclinando-se sobre a janela de sua casa olhando para mim com uma faca na mão e batendo-o contra a janela. Comecei a recuar sem tirar os olhos dele, então me virei e corri para longe, para a cozinha, me acalmei e voltei até a janela, mas tudo que vi foi uma mancha vermelha na janela.

Voltei para a cozinha, agarrei uma faca e a segurei firme, peguei o telefone e tentei discar 911, mas não havia linha, comecei a procurar meu celular, tive medo de subir, e seu eu o encontrasse? E se ele me apunhalasse pelas costas? E se eu fosse pedir ajuda a um dos vizinhos e Jeff o matasse ou ferisse? Tive que escolher o pior, eu precisava lutar com Jeff sozinha. Apertei a faca e fui até a porta da frente, coloquei meus sapatos, minha mão tocou a maçaneta da porta, a deixei abrir e marchei até a casa de Jeff.

Quando estava chegando perto da porta, minhas pernas começaram a tremer, minhas mãos a suar, e eu a respirar mais rápido, no fim eu agarrei a maçaneta, fechei os olhos e empurrei a porta, ofegante como um cão. Fiquei com a faca numa mão e a maçaneta na outra, apavorada demais para abrir os olhos, até que perdia a consciência. Quando acordei, estava numa mesa de jantar, tentei gritar, mas estava amordaçada e amarrada a uma cadeira. Olhei para o lado e as lágrimas começaram a escorrer quando vi aquela barbaridade e senti o cheiro dos corpos, um voz surgiu ao meu lado.

Olha quem está finalmente acordada.

Eu me virei e vi aqueles olhos grandes e sem piscar, vi seu sorriso vermelho, Jeff estava lá, tentei gritar novamente e a mordaça impediu, até que uma faca surgiu contra a minha garganta.

Shhhhhhh, shush, shush, shush. Não é educado para gritar com os amigos.

Olhei ao redor, todos com os rostos esculpidos em sorrisos, alguns com seus peitos ainda sangrando sangue fresco, lágrimas quentes começaram a correr pelo meu rosto e eu ouvi.

Awww o que há de errado? Você está chateada que você não está linda como eles? Não se preocupe, eu vou fazer você parecer bonita também.

Ele deslizou a faca sob a mordaça, eu cuspi ela e olhei direto nos olhos dele, ele simplesmente riu na minha cara.

Você é ainda mais engraçada do que eu pensava.

Ele se aproximou, eu senti sua respiração contra a minha pele.

Amigos fazem favores para seus amigos, certo? Bem, eu vou fazer um favor para você.

Ele se afastou, eu olhei para a mesa novamente e voltei a chorar, até que Jeff voltou. Ele segurava água sanitária e uma lata de gás, o medo logo me atingiu. Ele me cobriu de água sanitária e deixou o gás vazando na minha frente.

Não chore. Vai ser breve. Eu não tenho álcool, terá de ser assim. Seja rápida, Jane.Vou chamar os bombeiros.

Ele então acendeu um isqueiro e jogou em mim, gritei o mais alto que pude, a dor era insuportável, eu sentia minha pele sair do meu corpo, sentia o calor invadindo cada poro, o sangue evaporando das minhas veias,  meus ossos sendo carbonizados, antes de desmaiar ouvi Jeff.

Adeus, minha amiga, eu espero que você se torne tão bonita quanto eu sou! .Ahahahahahhaha!

Quando acordei, estava numa cama de hospital, enfaixada da cabeça aos pés, tudo doia, eu estava sozinha, gemi alto e uma enfermeira veio.

Jane, você pode me ouvir? Eu sou a sua enfermeira, Jackie, eu não sei como dizer isso, mas sua família morreu num incêndio.

Quando escutei isso, as lagrimas começaram a cair e eu comecei a soluçar. Jackie nervosamente falou.

Não, querida, não chore, você não será capaz de respirar se fizer isso. Jane, vou lhe dar algo para se acalmar, okay?

Senti meu sangue sendo invadido e cai no sono, quando acordei estava menos enfaixada, vi que meu quarto tinha uma floresta de flores, algumas normais, outras morrendo, tentei me levantar mas a enfermeira logo chegou para impedir.

Quanto tempo eu dormi?

 

Foi a primeira coisa que senti necessidade de perguntar.

Quase duas semanas. Você foi posta em coma induzida para o seu corpo se curar.

Eu então pedi um espelho a ela, na verdade eu praticamente mandei ela me dar, ela relutou, mas diante minha insistência pegou, então eu vi. Soltei aquele objeto na mesma hora quando descobri o que virei, minha pele era couro puro, não tinha um único fio de cabelo na cabeça e a a pele em torno de meus olhos havia caído, eu estava quase igual a Jeff… Comecei a chorar, até que um homem com flores surgiu na porta.

Desculpe-me, tenho um entrega para a senhorita Arkensaw.

Jackie se levantou e foi pegar o presente.

Parece que alguém se preocupa com você Jane. Essa pessoa manda flores todos os dias, mas dessa vez veio um pacote…

Peguei o pacote da mão dela rapidamente, então, do jeito mais doce possível, pedi para comer, eu estava com um pouco de fome. Assim que Jackie saiu, abri o pacote, dentro encontrei uma máscara banca com os olhos cobertos por uma renda preta e um sorriso feminino preto desenhado, também um vestido longo com a gola alta preta, luvas pretas, uma peruca preta com cachos bonitos, uma faca de cozinha afiada e um buquê de rosas negras. Junto ao pacote havia uma carta.

Jane, sinto muito eu errei com a tentativa de torná-la bonita. Então te dou essa máscara que vai deixar você linda até ficar melhor.  Ah, você esqueceu sua faca comigo, eu pensei que você queria de volta
-Jeff

Quando a enfermeira voltou, escondi tudo debaixo da cama. Naquela noite eu escapei assim que todos dormiram, infelizmente fui obrigada a usara as coisas que Jeff havia me dado. Fui até o cemitério, entrei e encontrei duas lápides, Isabelle Arkensaw e Gregory Arkensaw. Naquele momento eu vesti a máscara, peguei a faca e vi o sol nascendo. Nasceu um novo dia, e com ele o meu desejo de vingança contra o assassino Jeff, nasceu Jane, The Killer, pois serei a única coisa que fará de sua loucura a sua morte, desde esse dia tento encontrar Jeff para matá-lo, caça-lo, persegui-lo como o animal que ele é. Vou encontrá-lo e vou matá-lo. Não entre no meu caminho, diferente do querido Jeff, não vou manda-los Dormir, isso é irritante. Bem, agora está na hora de acabar com as vitimas de Jeff antes dele e depois mata-lo.

Comentários

Comentários



Gostou? Então Compartilhe o conhecimento :)